Anões

Inicialmente existia os anões eram um único povo, com uma única cultura e aparência. Todo anão tinha orgulho de seu povo e de tudo que eles tinham construído. Enquanto os humanos brigavam entre si por motivos fúteis e os elfos chegaram a divisão que os separaram em três raças diferentes, os anões eram unidos e leais a sua civilização.

Então não é inesperado que o fim desta civilização iniciou a disputa que levaria a divisão entre anões da colina e anões da montanha.

Quando os Titãs destruíram as primeiras cidades dos outros povos, os anões se recusaram a ajudar. Eles acreditavam que suas metrópoles-fortalezas eram inexpugnáveis e que eles iriam resistir ao ataque dos Titãs.

Os anões fecharam os portões de suas cidades, cortaram qualquer contato com outros povos e esperaram, acreditando que os muros iriam proteger sua raça. Quando a primeira cidade anã caiu, seus sobreviventes tentaram fugir para as cidades vizinhas de seus irmãos, mas encontraram os portões fechados.

Se uma cidade havia caído, a culpa só poderia ser dos seus habitantes que foram fracos e cederam ao pânico, abrindo seus portões para que as bestas entrassem. Era essa a explicação dada ao povo pelos governantes anões das cidades que ainda estavam de pé.

Quando a última cidade caiu, os anões já haviam se dividido em dois povos. Os sobreviventes da destruição das primeiras cidades haviam se adaptado a viver na superfície, próximo das ruínas de seus lares. Os anões das últimas cidades a serem destruídas, odiados por seus irmãos que foram deixados para fora dos muros, escolheram se manter no subterrâneo. Eles se esconderam nas ruínas de suas antigas cidades, em minas e túneis abandonados.

Com o início da Quarta Era os líderes dos dois povos estabeleceram um acordo. Eles iriam trabalhar juntos para encontrar um novo lar para seu povo, um lugar onde eles pudessem se proteger e formar uma nação poderosa como tiveram antes da Queda.

Foi através desse trabalho conjunto que eles encontraram Duvalkrin, uma antiga cidade dos anões anterior aos Titãs. Desde de sua descoberta os dois povos tem trabalhado em conjunto para reconstruir o local, dividindo suas tarefas de acordo com as especialidades de cada um. Os anões das colinas se tornaram os comerciantes e diplomatas do povo, devido a seu conhecimento sobre a superfície. Já os anões da montanha viraram os construtores e guardiões da cidade, devido a sua experiência nos subterrâneos.

Duvalkrin então não é só um novo lar para os anões, mas uma chance de unir novamente um povo dividido pelo rancor acumulado por gerações.

Anões

Bastion cesarld